Guia completo sobre saúde com descrição e importância dos principais alimentos naturais(frutas, verduras, etc.).

Prevenção e tratamento natural das principais doenças.

Também você terá centenas de receitas vegetarianas.


Voltar a Página Inicial
Ir para a Página Anterior Ir para a Proxíma Página

Cap. 01 - Contribuição Deficiente em Minerais e Oligoelementos
Características e Necessidade de Minerais e Oligoelementos
A falta de uns e outros está relacionada com as vitaminas e as auxinas. Têm a mesma origem, com efeitos em parte característicos e em parte gerais, além de muitos outros que, decerto, desconhecemos. Já nos referimos a esta questão quando tratamos da arte culinária e do emprego do sal. É imprescindível citar aqui, embora só de passagem, os resultados das numerosas investigações sobre o metabolismo de minerais e oligoelementos.

Tem-se provado que não podemos prescindir de muitos, como acontece com o sódio, potássio, cálcio, magnésio, ferro, manganês, cobre, zinco e cobalto. Mas quanto ao papel de outros elementos mais raros que encontramos regularmente, como o flúor, boro, níquel, arsênio, antimônio, chumbo, mercúrio, ouro e rádio, ainda não estamos bastante orientados ou só muito pouco. Desconhecemos, por exemplo, se o rádio que tenha chegado ao sistema ósseo dali emite as suas radiações de fácil medida (40 unidades Mache), desempenha uma função necessária no metabolismo ou se deve ser considerado como um elemento estranho. Sem as matérias minerais não se pode obter o desenvolvimento nem conservar a vida; a uma contribuição incompleta corresponde uma vida incompleta e uma deformação da personalidade.

Efeitos Sobre o Organismo

Sabemos que os minerais regulam o metabolismo da água, o equilíbrio ácido-básico, a sensibilidade dos nervos e dos músculos, a produção dos sucos digestivos e a resistência dos ossos e dos dentes. Em maravilhosa harmonia, cada mineral e cada elemento tem a sua missão determinada e insubstituível. Basta fixar profundamente a atenção nesta harmonia das funções biológicas e reconhecer a incalculável diversidade dos fatores que intervêm para possibilitar a existência do organismo humano, para ficarmos assombrados, se não atemorizados, perante um Poder não só capaz de tais obras, como também, além disso, de ter dado a existência a inumeráveis seres vivos, cuja existência esse mesmo Poder também conserva. Através da ordem das coisas visíveis adivinhamos o invisível Criador dessa ordem. Quem é que diante de um edifício não deduz a existência do arquiteto? No visível revela-se o plano do invisível. Por isso a inesgotabilidade do mundo visível é um indício da magnitude do invisível.

Alimentos Pobres em Estimulantes Intestinais

Função das «Matérias Inertes»As «matérias inertes», como já dissemos no caso da digitalina, quando tratamos do problema de «substâncias puras ou misturas naturais», têm o seu significado e a sua função. Assim, na digestão, o que não é digerível não é lastro sem valor que tem de ser eliminado; efetivamente, estimula, embora só mecanicamente, as paredes intestinais, excita a função do intestino e atua assim eficazmente contra a prisão de ventre, de que hoje sofre a maior parte dos homens civilizados. A alimentação rica em substâncias cruas contém sempre suficiente quantidade de celulose «não digerível».

Uma evacuação intestinal mais rápida e perfeita evita a «putrefação das proteínas» e, por isso, a formação de toxinas no intestino. Os produtos da proteólise quando passam do intestino para o sangue são fatores prejudiciais para a saúde, que forçosamente têm de ser eliminados. Quando se ti-atou do problema das proteínas, analisamos as conseqüências de um funcionamento anormal do intestino. Agora apenas diremos, para terminar, que os componentes da nutrição não digeríveis também são imprescindíveis para o funcionamento do intestino.


Contribuição Deficiente de Clorofila

Natureza e Propriedades»A clorofila despertou, ultimamente, a nossa atenção, e contém, hoje, como medicamento, numerosos específicos farmacêuticos. Há grande
parentesco entre o pigmento vermelho do sangue e o pigmento verde das folhas. Ao
passo que o corante sangüíneo vermelho é portador e transmissor do oxigênio, para nós vital, a clorofila na planta efetua o grande milagre de formar uma substância
orgânica (açúcar e amido) a partir de um gás (anidrido carbônico) e água, de colaboração com o sol, criando assim a base para a alimentação humana. Consideramos os dois corantes como substâncias vitais básicas, e interessa
averiguar que efeitos diretos exerce a clorofila sobre o organismo humano. O
corante vegetal verde incrementa a formação de hemoglobina e o número de glóbulos
vermelhos, facilitando também o funcionamento do coração, as funções intestinais e o metabolismo; evita a contração dos vasos e faz baixar a tensão; aumenta o rendimento muscular e nervoso, incrementa o recambio hídrico, regula as funções da matriz, dá um olor de frescura ao corpo e ao hálito e incrementa, em geral, o desenvolvimento dos tecidos orgânicos. Tudo isto quer dizer que essa maravilhosa matéria verde é um revitalizador geral para todas as células e, além disso, uma espécie de cosmético natural. Na folha verde viva existe um componente que tem o enorme poder de alimentar e de curar. Por que é que não temos isto mais freqüentemente em conta?



PÁGINA INICIAL
28/11/2016